Cerca de uma dezena de antigos trabalhadores das Páginas Amarelas protestaram, esta segunda-feira, em Lisboa, junto das instalações da empresa, para reclamar o valor das indemnizações que continuam à espera de receber.

Erguendo cartazes dizendo “O prometido é devido”, “Só queremos o que é nosso” e “Nós assinamos de boa-fé”, os manifestantes falaram com os jornalistas sob anonimato, explicando ter medo de represálias da empresa e de contribuírem, assim, para a possibilidade de não receberem os restantes 20% de indemnizações que falta pagar a 117 antigos trabalhadores, no valor de 900 mil euros.

A Páginas Amarelas tem em curso, desde junho, um segundo Processo Especial de Revitalização (PER), que levou a suspender os pagamentos daquelas indemnizações aos trabalhadores acordadas no primeiro PER, de janeiro do ano passado.

O primeiro PER, assinado por 117 trabalhadores, determinou que a revogação do contrato de trabalho desses trabalhadores em troca de, no mês seguinte, receberem 50% da indemnização e os outros 50% após seis meses, tendo ainda como premissa a realização de um aumento de capital de 2,5 milhões de euros até junho passado, que não foi efetivado.

O contrato de revogação assinado pelos 117 trabalhadores previa penalizações para o atraso do aumento de capital, estipulando que os restantes 50% da indemnização seriam pagos em tranches mensais sem juros, através do rateio de 10% do valor de vendas, desde julho de 2014 que os ex-trabalhadores estiveram a receber mensalmente essas tranches.

Através de um ’email’ enviado a 28 de maio passado, os ex-trabalhadores foram informados que o pagamento das tranches ficava suspenso com a entrada do novo PER, razão porque organizaram o protesto de hoje.

A Páginas Amarelas é detida, desde fevereiro de 2014, pela Norshare uma empresa sediada no Porto. Ao Observador, João Heitor, da comissão de trabalhadores, disse que a empresa emprega cerca de 150 pessoas e que a aposta tem sido sobretudo no “online”. As listas telefónicas à porta de casa há muito que já são coisa do passado.