Os olhos azuis que deixavam o público feminino vidrado em Lawrence, o protagonista do Lawrence da Arábia, na década de 60, foram, provavelmente, um dos trunfos que valeram ao ator que encarnou o papel, Peter O’Toole, uma lista infindável de conquistas ao longo da vida.

A mais recente biografia do ator irlandês, intitulada “Peter O’Toole: um fora da lei sexual e um rebelde irlandês”, revela que O’Toole, falecido em 2013, conquistou mais de 1.000 mulheres. Foram, na verdade, 1.033 as amantes que passaram pelos braços do galã de cinema, segundo conta o ABC, com base na publicação.

Segundo os autores da biografia, Peter O’Toole tinha apenas 13 anos quando foi seduzido por Bubble LaRue, uma viúva de 50 anos, com “um lindo cabelo loiro”. Foram cinco meses de encontros diários, depois das aulas. “Ensinou-me cada truque sexual que sei”, confessou Peter a certa altura da sua vida. Ao que parece tudo terá terminado quando Bubble LaRue sugeriu fazer sexo a três, com um cliente. “É demais”, pensou o Don Juan.

Desde então, não mais parou. Entre as 1.033 mulheres com quem teve relações, há várias anónimas, mas também muitas conhecidas, como Elisabeth Taylor, a princesa Margarida, Audrey Hepburn e Ava Gardner. Com algumas delas envolveu-se durante gravações de filmes.

E a prova de que para Peter O’Toole estas conquistas não passavam de um jogo é que, nos anos 60, o irlandês apostou com um amigo 150 dólares em como conseguiria seduzir o trio de loiras do momento – Diana Dors, Jayne Mansfield e Anita Ekberg – e acabou por levar o dinheiro para casa. Teve relações sexuais com as três.

Peter O’Toole faleceu aos 81 anos e deixou duas filhas, Pat e Kate O’ Toole, do seu casamento com a atriz Siân Phillips, e um filho, Lorcan O’ Toole, de Karen Brown.