Rádio Observador

Cultura

Morreu Alberto Vaz da Silva

701

Advogado de profissão, grafólogo por opção, católico progressista por vocação. Esteve no centro de muitas pequenas revoluções no pensamento do Portugal da segunda metade do século XX. Morreu terça.

Autor
  • Diogo Queiroz de Andrade
Mais sobre

Um homem define-se pela obra, mas também por quem tem próximo. E Alberto Vaz da Silva soube escolher bem os seus próximos. Casou-se com Helena Vaz da Silva, vivendo uma história de amor como terão certamente existido muito poucas; foi próximo de João Bénard da Costa, Pedro Tamen, Nuno Bragança, António Alçada Batista. Cruzou a segunda metade do século XX, dominou as escritas portuguesas como mais nenhum outro – entreteve-se com a grafologia quando se reformou das leis e ocupou-se sempre do divino interior.

Em dezembro, Laurinda Alves captou para o Observador a sua última entrevista, que fica aqui:

Alberto Vaz da Silva morreu em casa aos 79 anos, junto dos filhos, vítima de cancro. José Tolentino de Mendonça prestou-lhe os últimos sacramentos. Ele mesmo tinha escrito, no final de junho, um texto no Expresso intitulado “Saudades para Alberto Vaz da Silva”, onde prestou uma sentida homenagem:

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)