Os líderes dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) iniciam hoje na Rússia uma cimeira de dois dias para discutir a crise da Grécia, a situação na Ucrânia e a ameaça do grupo Estado Islâmico.

“Durante um almoço de trabalho fechado, os líderes tratarão de toda a atualidade da agenda internacional, incluindo a Ucrânia, Grécia e a ameaça terrorista por parte do Estado Islâmico (ISIS, na sigla em ingês)”, anunciou na segunda-feira um assessor do Presidente russo Vladimir Putin, referindo que a cimeira terá lugar em Ufa, sudoeste da Rússia.

O tema central do encontro dos líderes do grupo de países com economias emergentes será, no entanto, “a situação económica e o mundo”, bem como a cooperação económica dos BRICS no seio do G20, acrescentou o porta-voz de Vladimir Putin.

A intenção da Rússia, que acolhe este ano a 15ª cimeira dos BRICS, é impulsionar a dimensão política deste fórum que nasceu com uma vocação eminentemente económica, e aumentar a cooperação entre estes países para potenciar a competitividade.