O documento vai ser assinado pelo secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação português, Luís Campos Ferreira, e pela secretária de Estado das Relações Exteriores para a Cooperação angolana, Ângela Bragança.

Este novo PEC assenta em três eixos prioritários: boa governação, participação e democracia (setores institucionais); desenvolvimento sustentável e luta contra a pobreza (setores sociais) e desenvolvimento económico e infraestruturas.

Em março, num encontro de trabalho que os dois governantes realizaram em Luanda, de preparação do documento que hoje é assinado, foi salientado que o PEC vai dar maior ênfase às áreas da agricultura, energia e economia, sem descurar os tradicionais setores da saúde e educação.

Em declarações à Lusa em Luanda, Luís Campos Ferreira caraterizou o PEC como um programa mais funcional e prático do que o Programa Indicativo de Cooperação, na medida em que pretende acompanhar a realidade e necessidades de Angola.