O papa Francisco pediu esta quinta-feira o fim do “genocídio” contra os cristãos no Médio Oriente e noutros lugares, durante a sua visita à Bolívia.”Hoje, vemos com horror como, no Médio Oriente e noutros lugares no mundo, muitos dos nossos irmãos e irmãs cristãos são perseguidos, torturados e mortos devido à sua fé em Jesus”, disse.

“Neste terceira guerra mundial que estamos a experienciar, travada em fragmentos, uma espécie de genocídio está a acontecer e deve acabar”, defendeu.

Em setembro do ano passado, o papa lamentou a onda de conflitos mundiais, afirmando que se tratava, efetivamente, de uma terceira guerra mundial “fragmentada”.

As declarações de quinta-feira foram feitas depois de Francisco ter, também na cidade de Santa Cruz, na Bolívia, pedido desculpa pelos “crimes” cometidos pela Igreja Católica contra os povos indígenas durante a colonização das Américas. O primeiro papa latino-americano pediu “humildemente perdão”, durante um encontro onde estavam grupos indígenas e outros ativistas.

“Digo-vos isto com arrependimento. Muitos pecados graves foram cometidos contra os povos nativos da América em nome de Deus”, afirmou.