Alguns são repetentes, outros estreiam-se nestas andanças de ser cabeça de lista. A versão “CDU 2015”, que no outono vai disputar as próximas eleições legislativas, conta com oito mulheres entre os 22 lugares possíveis, mais do que há quatro anos (6). Jerónimo de Sousa, como esperado, vai tentar bater a concorrência em Lisboa; João Oliveira, líder parlamentar do PCP, vai correr em Évora; e Francisco Lopes, antigo candidato presidencial, tentará a sorte em Setúbal. Em 2011, a CDU conseguiu eleger 16 deputados, cinco dos quais na capital do país. E foi nas regiões em que perdeu que houve mais alterações.

As novas caras:

  • Açores: Aníbal Pires. Professor, 58 anos, deputado da Assembleia Legislativa da Região Autónoma. Substitui o histórico José Decq Mota que em 2011 falhou a eleição.
  • Braga: Carla Cruz. Em dezembro de 2012, Agostinho Lopes deixou a Assembleia da República para ser substituído pela psicóloga e deputada da Assembleia Municipal de Braga. Agora, Carla Cruz, de 43 anos, que o substituiu no Parlamento, vai ser cabeça de lista pelo distrito minhoto.
  • Bragança: Jorge Humberto Fernandes. O gestor de 49 anos e membro da Direção da Organização Regional de Bragança do PCP substitui Manuela Cunha, que em 2011 não conseguiu ser eleita.
  • Castelo Branco: Mónica Ramoa. Professora, 48 anos, membro do Movimento Democrático de Mulheres e dirigente do Sindicato dos Professores da Região Centro. A deputada da Assembleia Municipal da Covilhã vai tentar dar o salto para São Bento.
  • Guarda: Luís Simões Luís. Aos 43 anos, o arqueólogo e investigador quer chegar a deputado em 2015.
  • Portalegre: Manuela Cunha. Animadora Cultural, 58 anos, membro do Conselho Nacional e da Comissão Executiva do Partido Ecologista «Os Verdes». A ex-vereadora da Câmara de Almeirim vai tentar ser eleita deputada, substituindo Luísa Maria Araújo como cabeça de lista.
  • Porto: Jorge Machado. José Honório Novo tinha sido cabeça de lista pelo Porto em 2011. Na região nortenha, a CDU conseguiu eleger dois deputados. Honório Novo acabou por deixar a Assembleia em 2013. Agora, será a vez do já deputado Jorge Machado, 39 anos e ex-candidato à Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, assumir o lugar.
  • Vila Real: Júlia Correia. Professora, 59 anos, dirigente da União de Sindicatos de Vila Real.
  • Viseu: Manuel Almeida. Também ele professor, de 56 anos, o membro do Conselho Nacional e do Secretariado Nacional da FENPROF, vai tentar roubar votos numa região que já foi conhecida como o “cavaquistão”.
  • Europa: Teresa Soares. Professora, 60 anos, é membro do Organismo de Direção do PCP, na Alemanha.

Os repetentes:

  • Aveiro: Miguel Viegas. O professor universitário, de 45 anos, é eurodeputado desde 2014. Miguel Viegas vai tentar mudar-se de malas e bagagens para São Bento.
  • Beja: João Ramos. Enfermeiro, 42 anos, João Ramos tenta renovar o mandato de deputado nas próximas legislativas.
  • Coimbra: Manuel Pires da Rocha. Em 2011, o professor e músico de 53 anos foi cabeça de lista da CDU por Coimbra, mas não conseguiu chegar ao Parlamento. Este ano, vai procurar ter um resultado melhor.
  • Évora: João Oliveira. O advogado de 35 anos e líder da bancada parlamentar do PCP conseguirá, ao que tudo indica, renovar o mandato, numa região onde a CDU é, tradicionalmente, forte.
  • Faro: Paulo . Deputado e professor universitário, com 49 anos, vai voltar a encabeçar lista da CDU pelo círculo eleitoral de Faro.
  • Leiria: Ana Rita Carvalhais. A professora de 61 anos e dirigente da FENPROF tentará, como em 2011, chegar a São Bento. Há três anos não conseguiu, será que o vai conseguir agora?
  • Lisboa: Jerónimo de Sousa. O líder comunista, de 68 anos, deverá ter caminho fácil em Lisboa.
  • Santarém: António Filipe. Professor universitário, deputado e vice-presidente da Assembleia da República. Com um currículo preenchido, António Filipe vai ser novamente cabeça de lista em Santarém.
  • Setúbal: Francisco Lopes. O eletricista de profissão, com 59 anos, tentará ganhar o maior número de votos em Setúbal, bastião comunista.
  • Viana do Castelo: Ilda Figueiredo. Em 2011, a economista, de 66 anos, acabou por não conseguir ser novamente eleita deputada, cargo que já tinha ocupado entre 1979 e 1991. Oito anos depois de deixar São Bento, mudou-se para o Parlamento Europeu, onde esteve até 2012. Agora, a histórica comunista tenta ser novamente eleita deputada.
  • Fora da Europa: Helena Cunha. A historiadora, de 65 anos, é documentalista da Ordem dos Advogados de Angola. Vai também a votos nas próximas legislativas.