As principais bolsas europeias estavam esta quarta-feira em baixa, à espera da decisão do Parlamento grego sobre as medidas pedidas pela Europa em troca do terceiro resgate e sem reagir aos dados do PIB chinês no segundo trimestre.

Cerca das 09h25 em Lisboa, o EuroStoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a cair 0,11% para 3.603,17 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam em baixa, a recuarem 0,26%, 0,23% e 0,13%, respetivamente, bem como a de Madrid que estava a cair 0,04%. Em sentido contrário, Milão estava a avançar 0,56%.

Depois de ter aberto em baixa, a bolsa de Lisboa invertia a tendência e, cerca das 09h25, o principal índice, o PSI20, estava a valorizar-se 0,20% para 5.779,32 pontos.

Em Nova Iorque, as bolsas terminaram na terça-feira em alta, com o Dow Jones a subir 0,42% para 18.053,58 pontos, depois de ter subido a 19 de maio passado até aos 18.312,39 pontos, o atual máximo de sempre desde que foi criado.

Ao nível cambial, o euro abriu esta quarta-feira em baixa no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,0992 dólares, contra 1,1003 dólares no fecho de terça-feira.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou na terça-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,1031 dólares.

A Grécia continua no centro da atenção dos investidores, ainda que outros assuntos possam influenciar a evolução da sessão.

O Parlamento grego debate esta quarta-feira o primeiro pacote de medidas de ajustamento e acordado com a zona euro em troca do início das negociações sobre um terceiro resgate, num dia em que os serviços públicos convocaram a primeira grande greve desde que Alexis Tsipras assumiu o Governo.

Entretanto, foi esta quarta-feira divulgado o PIB da China no segundo trimestre do ano, que subiu 7% face ao mesmo do ano anterior, o menor acréscimo trimestral desde 2009, mas que permitirá um aumento de 7% em termos anuais.

E em Washington, a presidente da Reserva Federal (Fed), Janet Yellen, faz a comparência semestral no Congresso dos Estados Unidos para comentar a política monetária e o estado da economia.

O barril de petróleo Brent, para entrega em agosto, abriu esta quarta-feira em alta, a cotar-se a 58,60 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,15% do que no encerramento da sessão anterior.