O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, elogiou o desenvolvimento económico e social de Moçambique e sublinhou que Portugal quer estar na “linha da frente” da cooperação com o país.

“Queremos estar na linha da frente, queremos ser parceiros relevantes nesta aposta que o senhor Presidente [de Moçambique] está a fazer visando acima de tudo a melhoria do bem-estar dos moçambicanos”, vincou o chefe de Estado português.

Cavaco Silva falava no Palácio de Belém após se ter reunido com o Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, em visita de Estado a Portugal.

Para o Presidente da República, o tempo da visita do seu homólogo moçambicano é “muito particular”, numa altura em que passam 40 anos de independência do país, e este momento “diz muito também a Portugal, não apenas a Moçambique”.

“É forte a vontade das duas partes de reforçarem a cooperação em todos os domínios”, vincou Cavaco Silva, que destacou o papel das empresas portuguesas no país e a confiança das mesmas “no futuro da economia de Moçambique”.

“Sabemos bem que a estabilidade política e que a paz são decisivas para o desenvolvimento económico e social de Moçambique”, advogou o Presidente da República, reconhecendo todavia que é possível “fazer mais ainda” na cooperação entre os dois países, nomeadamente a nível de investimentos e comércio.

E acrescentou, dirigindo-se a Filipe Nyusi: “Pode contar connosco para trabalharmos em conjunto tirando partido dos laços de amizade, história e língua, para contribuir ainda mais para o desenvolvimento económico e social de Moçambique”.

Cavaco Silva destacou também a “visão comum” entre os dois Estados na necessidade de haver uma “consolidação da ordem institucional na Guiné-Bissau”.

O presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, iniciou hoje formalmente uma visita de Estado a Portugal, a convite do seu homólogo português Aníbal Cavaco Silva.

Esta visita é a primeira que o chefe de Estado moçambicano, empossado a 15 de janeiro, realiza fora do continente africano.