Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Aqueles pontinhos brilhantes que se veem na escuridão destas fotos são, na verdade, larvas. Chamam-se Arachnocampa luminosa e penduram-se em linhas de seda presas no teto para captar as presas. Quanto mais fome tiverem estas larvas, mais brilham.

Foi Joseph Michael que levou o material de fotografia para dentro destas caves calcárias da Nova Zelândia e olhou através das suas lentes para as larvas. A técnica fotográfica de longa exposição permitiu que as luzes protagonizassem as imagens entre as sombras da cave e a luz azul LED que pode ver-se nas imagens.

Nas grutas mais apertadas bastavam cinco minutos para tirar as fotos, mas nas maiores ou quando não se podia aproximar demais dos fungos, podia chegar a uma hora.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR