Quatro cidadãos italianos, trabalhadores de uma empresa de construção no complexo que a multinacional petrolífera Eni possui em Mellitah, Líbia, foram sequestrados, informou hoje o Ministério de Assuntos Exteriores em Roma.

Os quatro trabalhadores sequestrados são empregados da sociedade Bonatti, precisou o ministério em comunicado, no qual não é mencionada a autoria dos sequestros, nem quando aconteceram.

Foi criada uma unidade de crise no Ministério para acompanhar o assunto e está “em constante contato com as famílias dos compatriotas e com a empresa Bonatti”, acrescenta o comunicado.

O comunicado acrescenta ainda que o ministério já havia advertido para a situação de “extrema dificuldade no país” após o encerramento da Embaixada de Itália na Líbia, a 15 de fevereiro.

Naquela ocasião, recorda a nota oficial, recomendou-se aos italianos que abandonassem o território líbio.