Um dos membros mais importantes da al-Qaeda na Síria, Muhsin al-Fadhli, foi morto pelas forças norte-americanas durante um ataque aéreo no início de julho, anunciou agora o Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América. De acordo com um comunicado divulgado esta terça-feira, Fadhli terá morrido no dia 8 de julho, enquanto viajava de carro na região de Sarmada, no noroeste da Síria.

Muhsin al-Fadhli, de 34 anos, era líder do grupo Khorasan, uma rede de antigos membros da al-Qaeda formada durante a guerra civil síria. Era um dos membros do grupo terrorista mais próximos de Osama bin Laden e acredita-se que tenha sido um dos poucos a estar a par dos planos relativos aos ataques do 11 de setembro, em Nova Iorque.

Depois da invasão norte-americana do Afeganistão, fugiu para o Irão juntamente com outros membros da al-Qaeda, onde exerceu funções como “facilitador financeiro” e “financiador” do grupo. De acordo com o Departamento da Defesa, esteve também envolvido nos ataques de outubro de 2002, incluindo contra a marina norte-americana na ilha de Faylaka, no Kuwait.

Há mais de uma década que era procurado pelos militares norte-americanos. “A sua morte irá degradar e perturbar as operações externas da al-Qaeda contra os Estados Unidos da América e os nossos aliados”, referiu no comunicado Jeff Davis, porta-voz do Pentágono.