José Lello, Fernando Serrasqueiro, Paulo Campos e André Figueiredo, quatro deputados próximos de José Sócrates, estão de fora das listas de candidatos a deputados.

Lello, que integrou a direção de Sócrates no PS, afasta-se por iniciativa própria bem como Paulo Campos, ex-secretário de Estado das Obras Públicas. “Foi uma opção que vinha a ser amadurecida há tempos. Era a altura de assumir novos rumos. Há vida para além da política e há mesmo política para além da política. O que se passou nestes dois últimos dias deu-me razão”, afirmou José Lello ao Observador.

“Foi uma decisão refletida. Há muitas coisas para fazer na vida. Foi deputado durante quatro anos”, explicou ao Observador Paulo Campos, esclarecendo que já avisara há cerca de um mês o atual secretário-geral de que não estaria disponível para continuar no Parlamento. Questionado sobre a ausência de vários socráticos, desdramatizou. “No meu caso, é uma opção individual. No caso das outras pessoas, nem sei”.

Fernando Serrasqueiro foi secretário de Estado do Comércio com José Sócrates e não figura na lista de deputados de Castelo Branco (distrito por onde já foi eleito deputado) tal como André Figueiredo, ex-chefe de gabinete de Sócrates no PS, que tinha sido eleito pelo Porto. Os dois não responderam às tentativas de contacto por parte do Observador.

Numa declaração à agência Lusa, André Figueiredo frisou que a sua posição dentro do PS “vem sendo assumida há algum tempo”. “Encontro-me hoje no mesmo sítio de sempre – e daqui nunca me moverei -, orgulhoso do passado e ao lado do PS de forma determinada para alcançar uma vitória que salve este país, não esquecendo, nem hoje nem nunca, os valores da lealdade, da solidariedade e da camaradagem que, na verdade, são os fundamentais da matriz do meu partido”, disse.

Na sua página do Facebook, o diretor de campanha de António Costa, Ascenso Simões, agradeceu a todos os atuais deputados que não voltarão a fazer parte das listas. “A todos deixo a minha gratidão e a forte convicção de não os perder, de não perder a sua energia e militância, nesta longa e difícil batalha”, escreveu.

Isto não quer dizer que todos os socráticos estejam de saída. Em representação dos ditos socráticos, ficam nas listas Renato Sampaio, ex-líder do PS-Porto, ou o ex-eurodeputado Capoulas Santos e outras pessoas que entraram na política pela mão do ex-primeiro-ministro como Gabriela Canavilhas ou João Galamba. As listas completas de candidatos a deputados ainda não foram divulgadas.