António Zambujo atua esta quinta-feira no festival Cool Jazz nos Jardins do Marquês de Pombal, em Oeiras, nos arredores de Lisboa, sendo a primeira parte garantida pelo músico João Gil, que estreia o projeto Non-Finito. António Zambujo irá apresentar temas do seu mais recente álbum, “Rua da Emenda”, e revisitar os discos anteriores.

Esta é a segunda vez que o cantor, distinguido em 2006 com o Prémio Amália Rodrigues para o Melhor Fadista, atua no EDP Cool Jazz. O criador de “Lambreta” estreou-se neste certame em 2009 e, desde então, “tem vindo a firmar-se tanto a nível nacional como internacional, sendo um dos mais importantes artistas portugueses da atualidade”, salientou à Lusa fonte. A organização sublinhou ainda que o cantor, natural de Beja, protagoniza “uma melodia muito própria”.

João Gil, que fez já parte, entre outros, dos Trovante, Ala dos Namorados, Cabeças no Ar e Filarmónica do Gil, atua na primeira parte, apresentando o seu novo projeto musical que “junta algumas das suas composições mais emblemáticas com originais”, segundo a mesma fonte. Do alinhamento de Non-Finito fazem parte, entre outras, as canções “Perdidamente”, “Saudade”, “Esplanada”, “125 azul”, “Zorro”, “Loucos de Lisboa” e “Postal dos correios”, interpretadas por nomes como Nancy Vieira, Filipe Pinto e Ricardo Ribeiro.

“Tal como um edifício em permanente construção, João Gil junta o que há de melhor na sua obra e apresenta uma viagem aos grandes momentos, mas também algumas canções originais, numa nova abordagem por um grupo de excecionais músicos”, afirma a organização.

O músico conta cerca de 30 anos de carreira e tem participado nos mais diversos projetos musicais, mais recentemente, formou o grupo Baile Popular, gravou um CD com Luís Represas, ex-companheiro dos Trovante, formou o Quinteto Lisboa, em 2012, e compôs uma Missa brevis. Desde 1994, o festival conta “mais de 120 concertos, tendo juntado mais 275.000 pessoas”, segundo a mesma fonte.