A segunda ronda “das negociações de paz” diretas entre rebeldes talibãs e governo afegão, para acabar com 14 anos de conflito, vai decorrer no fim do mês, anunciaram hoje as autoridades afegãs.

“A segunda ronda está marcada para 30 ou 31 de julho”, declarou Mohammed Ismail Qasimyar, membro do Alto Conselho para a Paz, do governo afegão.

As negociações vão decorrer “muito provavelmente na China”, sublinhou Qasimyar.

O primeiro vice-presidente do Alto Conselho para a Paz, Abdul Hakim Mujahid, afirmou que o local ainda está “a ser debatido entre o Afeganistão, Paquistão, Estados Unidos e China, para decidir que país acolherá este encontro”

Os primeiros contactos e negociações oficiais entre os dois lados realizaram-se a 07 e 08 deste mês em Murre, perto de Islamabad, com a participação de diplomatas chineses e norte-americanos.

Mas as negociações decorrem num contexto de crescentes violências pelos rebeldes talibãs, que realizam cada vez mais ataques fora das suas zonas tradicionais de influência, no sul e leste do Afeganistão, nomeadamente em Cabul e nas províncias do norte.

Desde dezembro passado e com o fim da missão de combate da NATO, as forças de segurança afegãs estão sozinhas no combate com os rebeldes.

Os 12.500 soldados estrangeiros destacados no Afeganistão, no âmbito de uma nova missão denominada “Apoio resoluto” estão encarregados da formação das forças afegãs.