Bashar al-Assad, o Presidente da Síria, afirmou este domingo que as suas forças militares não conseguem “segurar” algumas partes do país devido ao elevado número de deserções no exército do Governo. O comunicado público, transmitido na televisão, foi classificado como “invulgarmente franco”, segundo o Wall Street Journal.

“A ideia de que iríamos vencer todas as batalhas em todo o lado é irrealista, impossível e inexequível”, afirmou Assad em Damasco, a capital síria. “Por isso é que foram definidas prioridades”, que se baseiam na importância militar, política, económica e estratégia da região, entre outros fatores, acrescentou.

Contudo, Assad reconheceu que “quando queremos concentrar as nossas forças numa área importante, o que acontece é que mobilizamos o nosso material e [os nossos] combatentes para a região, à custa de outros lugares que se tornam vulneráveis”. “Por vezes, em algumas circunstâncias, somos obrigados a desistir de algumas áreas a fim de mobilizar forças para a área que realmente queremos segurar”, reiterou.