Até agora, a personalidade de alguém tinha apenas dois extremos: ou era extrovertido e gostava de comunicar constantemente com os outros; ou então era introvertido e preferia resguardar-se do centro das atenções. Agora, os psicólogos encontraram o meio-termo: os ambivertidos, que têm momentos. Ora têm facilidade em contactar com terceiros e é algo que até precisam, ora preferem trancar-se no próprio mundo e viver isolados por uns instantes.

Para os profissionais que estudam os traços de personalidade, os ambivertidos são gente mais adaptável porque nem as características da extroversão, nem as da introversão são predominantes. “Têm mais equilíbrio e uma personalidade matizada”, escreve o Wall Street Journal. Sabem quando devem exteriorizar o que sentem e envolver-se na multidão, mas também sabem quando é mais conveniente procurar o silêncio e a contenção.

“Eles têm uma vasta variedade de capacidades e conseguem relacionar-se com muitos tipos de pessoas da mesma forma que alguém que sabe falar inglês e espanhol”, compara Daniel Pink, autor de um livro sobre negócios e participante numa série televisiva sobre comportamento humano chamado Crowd Control. Ele também explica como descobrir se é ambivertido.

Pergunte-se o seguinte:

  • O que prefere depois de um longo dia de trabalho: uma hora bem passada com os amigos ou deitar-se no sofá com o comando da televisão na mão?
  • Num evento social, a que ponto do acontecimento prefere sair: o mais depressa possível ou apenas quando a última pessoa tiver saído?
  • Durante uma conversa, prefere pensar nas respostas antes de as dar ou “despejar” qualquer ideia que lhe venha à cabeça?

Se for ambivertido, nenhuma das opções dadas acima o deixarão satisfeito. Vai preferir sempre um ponto intermédio: estar um pouco com os amigos e a seguir relaxar no sofá ou sair da festa quando simplesmente deixar de ser interessante. Um estudo publicado no Psychology Science em 2013 pediu a 340 trabalhadores de um call center que realizassem testes de personalidade para determinar os seus traços. Descobriram que os trabalhadores com mais venda por hora eram ambivertidos.

Mas também há desvantagens: “Ao contrário dos extrovertidos e dos introvertidos, que tendem a saber o que lhe confere energia, os ambivertidos não têm tanto essa noção”, o que pode significar que podem não entender quando devem mudar de atitude para se sentirem mais motivados.

Texto editado  Filomena Martins