A agência de classificação de risco norte-americana Standard & Poor’s anunciou nesta terça-feira ter mantido a avaliação do Brasil em “BBB-“, classificada como grau de investimento, mas alterou a perspetiva para negativa e poderá baixar a nota.

A atual avaliação do Brasil, “BBB-“, é a última possível dentro do grau de investimento, que significa que o país é um bom pagador. Com uma nota mais baixa, os investidores consideram que o país possui risco de calotes.

Os motivos da mudança da perspetiva são a perceção de que “os riscos de pioria no Brasil cresceram” tanto na política como na economia, com influência do escândalo de corrupção na Petrobras e da dificuldade do Governo em aprovar medidas de ajuste fiscal que ajudem a recuperar a economia a longo prazo.

A agência não mencionou a diminuição da previsão do excedente orçamentário como uma razão de desconfiança, segundo a imprensa brasileira, mas a medida causou efeitos no mercado financeiro e a cotação da moeda brasileira, o real, desvalorizou em relação ao dólar norte-americano.

Durante o dia de hoje, após o anúncio da Standard & Poor’s, o dólar chegou a ser cotado a 3,44 reais (0,92 euros), o maior valor desde março de 2003, mas, em seguida, caiu para a casa dos 3,40 reais (0,91 euros).

Na segunda-feira, a moeda norte-americana fechou o dia cotada a 3,362 reais (0,90 euros), influenciada pela queda das bolsas chinesas, até então o menor valor desde março de 2003.