Miguel Herrera, demitido do cargo de selecionador de futebol do México por ter agredido um jornalista, apresentou desculpas públicas na terça-feira pelo “penoso incidente”.

“Quero pedir desculpa aos adeptos, corpo técnico, jogadores, dirigentes e comunicação social pelo meu comportamento neste penoso incidente”, escreveu, em comunicado, o agora ex-selecionador mexicano.

Herrera, de 47 anos, foi destituído do cargo após ter agredido na segunda-feira passada um jornalista desportivo, no aeroporto de Filadélfia, nos Estados Unidos, horas depois de ganhar a Gold Cup, o seu primeiro título pela seleção mexicana.

O técnico agrediu a murro Christian Martinoli, jornalista da Televisión Azteca, com quem o selecionador cessante mantinha desentendimentos públicos.

“Para mim, é claro que esta não é uma atitude de um treinador da seleção mexicana. Entristece-me deixar o cargo devido a este lamentável incidente, já que os resultados desportivos foram, na sua maioria, positivos”, admitiu Herrera.