“Oh, meu Deus! Olha para este prémio!”

“Ela é linda. Está tudo bem?”

“Whoa.”

“Belo par.”

Três homens foram convidados a ver as respetivas namoradas a passear pelas ruas de Nova Iorque — vestidas de forma descontraída, a caminhar sozinhas em silêncio e… a serem continuamente assediadas. O motivo? Perceber o que as mulheres sofrem, numa base diária, à conta de piropos alheios.

A situação descrita faz parte de um teste realizado pela Cosmopolitan, publicação que quis pôr em cima da mesa o debate sobre os assédios constantes a que as mulheres estão sujeitas nas ruas das suas cidades.

Para realizar a experiência, cada uma das mulheres usou uma câmara GoPro oculta, de forma a filmar o sucedido. Mais tarde, os namorados tiveram acesso às gravações. E será que gostaram do que viram? A resposta foi um redondo “não”.

No vídeo que a Cosmopolitam publicou no Youtube esta segunda-feira — e que já foi visto quase 3 milhões de vezes — é possível compreender a frustração e o receio dos namorados. Um deles chega mesmo a admitir que algumas das situações são assustadoras, enquanto outro argumenta que aquelas mulheres poderiam ser filhas ou irmãs de alguém.

A propósito disso, o Daily Mail recorda que, de acordo com um inquérito de âmbito internacional publicado em meados deste ano, 84% das mulheres já foram assediadas nas ruas ainda antes dos seus 17 anos; outras 13% admitiram que receberam atenção indesejada aos 10 anos, ou até antes.

Apesar da adesão, a iniciativa da Cosmopolitan não é original. Em 2014, foi a vez de Shoshana Roberts, uma aspirante a atriz de 24 anos, submeter-se a uma experiência semelhante. A jovem decidiu-se a caminhar em silêncio pelas ruas de Nova Iorque durante 10 horas, tempo durante o qual ouviu mais de 100 piropos. E não, não estava vestida com um vestido justo ou uma saia curta — apenas calças e uma t-shirt básica preta.