A EDP Energias do Brasil, controlada pelo grupo EDP, teve lucros líquidos de 827,6 milhões de reais (226,5 milhões de euros) no primeiro semestre deste ano, quase três vezes mais do que no mesmo período de 2014.

Os resultados, divulgados pela empresa na noite de quarta-feira, apontam que os lucros do primeiro semestre do ano passado foram de 283,2 milhões de reais (77,5 milhões de euros).

O aumento dos lucros foi influenciado pela compra de 100% da central térmica de Pecém I, da qual a empresa possuía 50% até o mês de maio, que gerou receitas de 884,7 milhões de reais (242,1 milhões de euros).

Considerando-se apenas o segundo trimestre, os lucros da empresa foram de 744 milhões de reais (203,6 milhões de euros), mais de quatro vezes superiores aos do mesmo período de 2014.

O Ebtida (lucros antes de juros e impostos) da empresa chegou a 1.222 milhões de reais (334.400 milhões de euros) no segundo trimestre do ano, 184% mais do que o acumulado entre abril e junho de 2014.

A receita líquida da companhia no segundo trimestre subiu 41,2% em relação ao mesmo período do ano passado, e somou 2.594 milhões de reais (709.870 milhões de euros). O segmento da distribuição apresentou 59% de aumentou na faturação enquanto o da geração, 57%, e o da comercialização, uma queda de 3%.

O aumento da receita foi influenciado pelos reajustes tarifários de duas distribuidoras, Escelsa e Bandeirante, no Espírito Santo e em São Paulo, respetivamente.