Um polícia branco foi acusado de matar um homem negro, durante uma operação de controlo rodoviário em Ohio, EUA, informou quarta-feira o procurador de Hamilton, estimando que se tratou de um ato motivado por cólera.

“Ele não estava a lidar com uma pessoa procurada por homicídio, estava a lidar com uma pessoa com uma matrícula em falta”, declarou à imprensa o procurador Joseph Deters.

“Se ele começou a avançar [com o carro], francamente, era deixá-lo ir. Não era preciso dar-lhe um tiro na cabeça”, defendeu Deters.

Ray Tensing, polícia no campus da Universidade de Cincinnati, é acusado de matar Sam DuBose, a 19 de julho. Com 25 anos, usava uniforme policial há quatro anos, segundo a imprensa local.

Inicialmente, Ray Tensing tinha dito que atirou sobre o homem de 43 anos porque ele ia fugir e arrastá-lo com o carro.

No entanto, imagens de uma câmara de videovigilância presa ao corpo do próprio polícia mostram que o agente numa esteve em risco.

A universidade encerrou o campus e colocou barricadas na entrada.

As autoridades municipais apelaram à calma e disseram estar preparadas “para todos os cenários que possam surgir”, tendo em conta a onda de protestos, alguns violentos, que surgiram recentemente nos Estados Unidos.