A mulher que, duas horas depois do parto, saiu do Hospital de Faro com o bebé escondido numa mala ficou sujeita ao termo de identidade e residência e não vai poder ver estar com o filho sem estar acompanhada por uma assistente social ou por uma enfermeira. Esta foi a medida de coação aplicada esta sexta-feira, dia 31 de julho.

Após ter regressado voluntariamente ao hospital, a mulher foi detida pela PJ, tendo passado a noite na cadeia. A mãe, toxicodependente, mostrou-se “muito arrependida”, segundo a pediatra de serviço na Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais Maria Alfaro.

A mulher de 28 anos, que esteve presente esta sexta-feira no Tribunal de Família e Menores de Faro, fica agora indiciada pelo crime de exposição ao perigo e sujeita-se a uma pena de prisão entre dois e cinco anos. O juiz de instrução proibiu-a de ver a filha sem estar acompanhada por uma enfermeira ou uma assistente social.

O recém-nascido está, de momento, no Hospital de Faro sob observação. “Agora vamos avaliar o bebé, o estado de saúde, a parte familiar, social e logo se vê”, disse Alfaro.