O ex-autarca das Caldas da Rainha Fernando Costa, atual vereador em Loures, queixou-se hoje, com “mágoa”, de ser o único presidente de uma distrital do PSD fora das listas de deputados.

“Há uma mágoa. Eu disse ao presidente do partido que estava magoado, porque, de facto, sou o único presidente de distrital que não vou nas listas. E a razão essencial, tanto quanto sei, é por ser um autarca defensor das populações”, afirmou o atual vereador responsável pelo Gabinete de Consultadoria Jurídica da Câmara Municipal de Loures, cujo executivo é de coligação entre a CDU e o PSD.

Em declarações aos jornalistas, no final da reunião do Conselho Nacional do PSD que aprovou as listas de deputados, num hotel de Lisboa, Fernando Costa considerou que os eleitores do círculo de Leiria vão ficar “de boca aberta” com essa decisão, mas elogiou os nomes escolhidos para candidatos e desresponsabilizou Pedro Passos Coelho.

Segundo o ex-presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha, que exerceu essas funções por quase 30 anos, Passos Coelho mostrou-se “um pouco consternado com esta situação”.

“Naturalmente que não é agradável para ele nem para mim, mas o presidente do partido não tem qualquer responsabilidade – ou não tem a maior responsabilidade, porque, sendo presidente do partido, também podia, e ele sabe quanto eu gostava que ele pudesse dar uma ajuda a resolver este problema. Não pôde”, afirmou.

Questionado sobre quem teve responsabilidades, respondeu: “Não sei, nem me interessa”.

Fernando Costa sugeriu que “algumas pessoas” não têm gostado da sua atuação como autarca, acrescentando: “Há pessoas que estão na política e que não sabem o que é um autarca e os seus ideais. Eu quero morrer como autarca”.