Religião

Segundo casamento divide bispos. Quem volta a casar deve comungar?

1.424

A pergunta foi feita na última reunião da Conferência Episcopal Portuguesa: quem se divorcia e volta a casar pelo civil deve comungar? Venceu a ala mais conservadora, liderada por Manuel Clemente.

A votação foi secreta, mas sabe-se que foi renhida

MÁRIO CRUZ/LUSA

Casar-se, divorciar-se, voltar a casar. Parece simples, mas provocou a discussão entre os bispos portugueses, conta a edição desta sexta-feira do jornal Sol. A divisão ocorreu na última reunião da Confederação Episcopal Portuguesa (CEP) e pôs o bispo de Leiria – Fátima, António Marto, num frente a frente com o cardeal-patriarca de Lisboa, Manuel Clemente. Venceu o último.

O tema foi lançado no ano passado em Roma, mas gerou debate um pouco por todo o mundo. Em Portugal, António Marto defendia uma posição mais liberal juntamente com mais cinco bispos da zona centro e subscreveu a opinião do cardeal Walter Kasper sobre o assunto – defende que os recasados possam voltar a comungar na missa após um percurso penitencial. No final deste processo, cada caso seria analisado individualmente e a decisão final caberia ao bispo da diocese.

O bispo de Viseu, Ilídio Leandro, que estava ao lado de António Marto, disse que “estes problemas de casais” ocorrem todos os dias e que “é importante definir qual é a posição humanamente mais aconselhável para os aconselhar e orientar”.

Manuel Clemente, por outro lado, defende que não deve alterar-se a doutrina católica, ou seja: o casamento é indissolúvel e os divorciados que voltam a casar vivem numa situação de adultério. Não podem, por isso, comungar.

Para resolver a questão, o cardeal-patriarca de Lisboa propôs a simplificação dos processos de nulidade do casamento. Se o casamento for anulado, o caso muda de figura, que é como quem diz, de comunhão. A votação foi secreta, mas o Sol apurou que Manuel Clemente venceu apenas por dois votos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt
Igreja Católica

Um sinal de Deus para a Igreja


Eugénia Tomaz
4.045

A beatificação de Guadalupe Ortiz de Landázuri recorda que a Opus Dei é um diaconado permanente, de homens e mulheres, com a missão de estabelecer pontes entre a hierarquia da Igreja e o Povo de Deus

Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)