Marques Mendes não tem dúvidas sobre o que deveriam fazer os administradores da Caixa Geral de Depósitos, que na semana que passou foram alvo de críticas por parte do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. “Em função do que Passos Coelho disse, acho que a administração da Caixa devia demitir-se. Estou à espera que na próxima semana apresentem a demissão. Foram completamente desautorizados pelo dono, o Estado, cujo representante é o Governo, e nunca mais são levados a sério”, afirmou o ex-líder do PSD, na SIC.

Apesar de considerar que o chefe do Governo tem razão nas críticas que fez — “esta gestão tem alguma falta de liderança, pouca agressividade comercial, pouca sensibilidade para as Pequenas e Médias Empresas e não fez qualquer restruturação interna” — sublinha que Passos Coelho “não tem autoridade” para fazer essas críticas.

A explicação? “Esta administração foi já nomeada duas vezes por este Governo, a primeira em 2011 e depois renomeada. Passos Coelho está a queixar-se das pessoas que o seu governo nomeou para lá, o que significa que tem de ter um bocadinho mais de cuidado com as escolhas que faz, para depois não ter de dar o dito pelo não dito e entrar em contradições e em incoerência. ”

A oposição também não foi poupada nas críticas de Marques Mendes que, perante o silêncio em torno do caso que considera “inédito”, questionou: “Onde está a oposição que não diz uma palavra sobre o assunto? Está a banhos? A leste do paraíso?”