As chuvas de monção já provocaram a morte de centenas de pessoas na Ásia e os trabalhos de resgate continuam em áreas remotas da Índia, Paquistão e Birmânia, atingidas por inundações e deslizamentos de terra, segundo as autoridades locais.

Autoridades indianas declararam que mais de 120 pessoas morreram no país nos últimos dias em razão das fortes chuvas e outras 116 pessoas perderam a vida no Paquistão.

Na Índia, em Bengala Ocidental, pelo menos 48 pessoas morreram e “5.600 cidades foram atingidas e perto de 1,1 milhões de pessoas foram deslocadas”, disse Javed Ahmad Khan, ministro da Gestão de Estado indiano.

Na Birmânia, as fortes chuvas provocaram nestes últimos dias uma rápida subida das águas e deslizamentos de terras, destruindo milhares de casas, terras agrícolas, pontes e estradas.

A ONU declarou-se “preocupada” pela situação na Birmânia, que poderá ser mais crítica do que mostram os primeiros balanços, que até momento apontam para 46 mortos.

“Mais de 200 mil pessoas foram afetadas pelas inundações e 46 pessoas morreram no país”, disse hoje à agência AFP um funcionário do Ministério dos Assuntos Sociais da Birmânia.

O acesso a numerosas cidades do norte e oeste da Birmânia está bloqueado e os trabalhadores humanitários creem que a amplitude da catástrofe está a ser subestimada.

Estima-se, segundo dados das autoridades destes países asiáticos, que milhões de pessoas foram afetadas e tiveram de ser deslocadas devido às monções.