Na próxima semana, a imperatriz japonesa Michiko vai ser examinada no Hospital da Universidade de Tóquio, depois de um eletrocardiograma ter demonstrado que a líder da realeza apresentava sintomas de obstrução da artéria coronária, conta o El Mundo.

A Agência da Casa Imperial do Japão informou que a imperatriz de 80 anos sentiu dores no peito em junho, algo que a obrigou a cancelar eventos onde tem de estar muito tempo de pé ou debaixo de altas temperaturas.

Na verdade, a imperatriz Michiko tem um longo currículo de doenças. Quatro meses depois de casar, em 1963, perdeu a fala à conta de uma depressão. Trinta anos mais tarde, voltou a perder a fala depois de desmaiar. É uma espécie de afasia que tem atingido a imperatriz desde que subiu ao trono ao lado do imperador Akihito. Mas os problemas de saúde da imperatriz não acabam aqui. Em 2008, Michiko descobriu que tinha um refluxo gastroesofágico através de uma endoscopia. O problema surgiu por causa dos códigos de vestuário da família real, que mandam que os quimonos estejam bastante apertados.

Mas a imperatriz octogenária não é a única na família imperial a causar preocupações. O imperador Akihito tem uma osteoporose precoce. E até o pai do chefe imperial nipónico desenvolveu uma doença grave, que o veio a matar em 1989: cancro no pâncreas. Quando morreu, só tinha 20 quilos.

O mesmo tipo de cancro também atormentou Akihito em 2003, embora tenha conseguido ultrapassar o problema. Mas cinco anos depois, foi internado por causa de uma hemorragia estomacal. E em 2012 foi obrigado a colocar um bypass, quando as artérias coronárias começou a estreitar-se.

A mulher de Naruhito, herdeiro ao trono, debate-se com uma depressão profunda que a afasta da vida pública. É um problema de saúde que surgiu assim que Masako abandonou o cargo de diplomata para casar com Naruhito e muitos dizem que o motivo é a pressão da família imperial para engravidar.

Fez tratamentos de fertilidade, ultrapassou alguns abortos e em 2001 deu à luz Aiko, uma menina que na verdade não veio descansar a mãe dessa pressão: é que apenas um menino pode subir ao trono. Masako chegou até a propor ao marido que tivesse um filho com uma concubina.