Preferia que a Grécia saísse ou continuasse a fazer parte da zona euro?. A esta pergunta, colocada numa sondagem da YouGov, mais de metade dos alemães e dos finlandeses mostraram que, apesar do acordo atingido para que se negoceie o terceiro resgate, preferiam que Atenas deixasse de pertencer à união monetária.

58% dos alemães e 54% dos finlandeses preferiam que a Grécia saísse da zona euro, o que contrasta com os 41% dos consultados em França, 42% na Suécia e no Reino Unido. Por outro lado, são os britânicos que consideram mais provável que isso vai acontecer – 50% dos consultados pela YouGov acreditam que a Grécia deixará de fazer parte da zona euro nos próximos cinco anos.

Aqui, a percentagem de alemães e finlandeses é ligeiramente menor: 48%. O que, por outras palavras, significa que há uma percentagem significativa de alemães e finlandeses que apesar de defenderem que a Grécia devia sair do euro, não acreditam que isso irá acontecer.

A sondagem da YouGov, que foi elaborada na última semana de julho, procurou, também, conhecer a opinião dos habitantes dos vários países sobre os méritos do acordo. Apenas 24% dos alemães disseram que apoiam ou tendem a apoiar o acordo, apesar de este ter correspondido a uma cedência em praticamente toda a linha por parte do governo de Alexis Tsipras. 64% disseram, mesmo, que se opunham ao acordo.

Os franceses inquiridos mostram, também aqui, uma atitude mais positiva, com 49% a indicarem que se opõem ao acordo e 32% que o apoiam.