Um homem armado, de 51 anos, abriu fogo esta quarta-feira num complexo de cinemas nos arredores de Nashville, Tennessee, Estados Unidos. O atirador, cuja identidade ainda não foi revelada, carregava uma arma e um machado, mas acabou por ser morto depois de uma troca de tiros com a equipa de intervenção da polícia.

O porta-voz da polícia de Nashville, Don Aaron, revelou que uma pessoa ficou ferida depois de ter sido golpeada pelo machado. Não existem, no entanto, vítimas mortais. A “ameaça iminente” está, assim, afastada, garantiu o porta-voz da polícia.

De acordo, com a NBC News, que cita o responsável pela investigação, o atirador carregava duas mochilas com ele. A equipa de intervenção decidiu detonar uma das mochilas por razões de segurança. Segundo testemunhas que estavam perto do local, o atirador invadiu um cinema onde estava a ser transmitido o filme “Mad Max: Fury Road”.

A CNN acrescenta ainda, citando também o porta-voz da polícia, que nenhum dos espectadores foi transportado para o hospital, mas três pessoas tiveram de ser assistidas, depois de apresentarem sinais de irritação causados pela exposição a gás de pimenta, alegadamente lançado pelo suspeito.

Antes de ser atingido pela equipa de intervenção da polícia, o suspeito terá ainda trocado tiros com um agente da polícia que tentou entrar no cinema, mas que acabou por ter de recuar.

Este é o segundo tiroteio a ocorrer no interior de um teatro norte-americano em pouco tempo. A 24 de julho, pelo menos três pessoas morreram e sete ficaram feridas num cinema em Lafayette, no estado norte-americano do Louisiana. O autor do crime acabou por se suicidar no local.

O tiroteio teve lugar no Grand Theater 16, por volta das 19h30 locais (1h30 de sexta-feira em Lisboa). Na altura estavam cerca de 100 pessoas a assistir à comédia “Trainwreck” e foi uma das pessoas feridas que conseguiu acionar o alarme de incêndio que deu o alerta para a situação. Testemunhas no local ouviram os tiros, mas acharam que estavam relacionadas com o filme.

Há três anos, a 19 de julho de 2012, James Holmes tinha entrado num cinema em Aurora, Colorado, morto 12 pessoas e deixado 70 feridas durante a projeção de um filme do Batman – “The Dark Knight Rises”