Se a desconfiança já existia, agora a confirmação chega das autoridades britânicas: o massacre na praia de Sousse, na Tunísia deverá estar mesmo ligado ao atentado no Museu Nacional Bardo, na capital do país.

As autoridades anti-terroristas britânicas confirmam a existência de fortes indícios de ligação entre os dois ataques. Recorde-se que os atentados fizeram 60 mortos: 38 turistas em Sousse e 22 pessoas no Museu Nacional Bardo.

Na altura, a polícia tunisina deteve 150 pessoas na sequência do ataque em Sousse. Destas, 15 foram acusadas de terrorismo.

Em junho, já tinha sido confirmado que Seifeddine Rezgui, o tunisino responsável pelo ataque na praia, treinou ao lado dos terroristas responsáveis pelo atentado no Museu Nacional do Bardo. Os atacantes praticaram numa base jihadista no leste da Líbia. A descoberta confirmou a hipótese da forte presença do grupo do Estado Islâmico na Líbia, país vizinho da Tunísia – o único da região a alcançar uma democracia sustentada na sequência da Primavera Árabe.