No teste que Nicole Barr preencheu para descobrir o seu quociente de inteligência, a inglesa (Essex) de 12 anos alcançou os 162 pontos. Entrou assim para o grupo de pessoas com inteligência apurada, que representam apenas 1% da população mundial. É mais inteligente do que o físico Albert Einstein e que Stephen Hawking.

As perguntas do teste estavam apropriadas à idade da criança de etnia cigana, mas foram poucas as crianças que conseguiram ultrapassar a marca dos 160 pontos. O valor conseguido por Nicole Barr foi o maior alguma vez observado, o que está “a dar que falar na comunidade cigana” a que pertence, como diz o pai ao Western Daily Press.

Nicole frequenta agora o sétimo ano e pretende tornar-se médica. Gosta de ler, dançar e representar. Em pequena, enquanto participava numa peça de teatro na escola primária, a rapariga com quem contracenava esqueceu-se das falas e ela conseguiu dizê-las porque as havia decorado. Nesta altura, já conseguia resolver questões de álgebra complexas.

O pai, James, diz-se orgulhoso: “Isto mostra que não importa de onde vens, toda a gente pode ser academicamente brilhante”.

O teste foi composto pelo Mensa, uma organização sem fins lucrativos que reúne pessoas com quociente de inteligência elevado. Dos 110 mil membros, apenas 8% tem idade inferior a 16 anos e 35% pertencem ao género feminino.