Apoiantes e opositores do ex-primeiro-ministro José Sócrates podem cruzar-se, este domingo, junto ao Estabelecimento Prisional de Évora, em duas manifestações organizadas. De um lado o “Movimento Cívico José Sócrates ‘Sempre'”, que organiza, mais uma vez, uma demonstração de apoio a José Sócrates. Do outro lado o Partido Nacional Renovador (PNR), que, pela primeira vez, se desloca a Évora, “em protesto contra o apoio ao recluso 44 que tanto dano causou a Portugal e aos portugueses”.

O Observador tentou saber junto da Polícia de Segurança Pública (PSP) se estão previstas medidas de segurança extraordinárias, mas não foi possível obter esclarecimentos. Certo é que as duas organizações agendaram manifestações para o mesmo dia, para o mesmo local e separadas apenas por algumas horas.

Em janeiro, a PSP foi obrigada a intervir junto à cadeia de Évora para travar os confrontos entre os apoiantes de José Sócrates e o humorista João Cunha, que terá “provocado” os manifestantes com frases como “Sócrates devia ficar preso para o resto da vida”.

O ambiente, desta vez, poderá ser ainda mais tenso. Na página do Facebook do PNR, os promotores da iniciativa “Vamos a Évora Mostrar a Nossa Indignação” são claros:

“No dia 9 de agosto um bando de gente paga, vai a Évora, mais uma vez, “jurar” publicamente a “inocência” de Sócrates, fazendo-nos de parvos. Já chega! O país não pode assistir apático a afrontas destas. Em nome da nossa própria dignidade, vamos denunciar estas palhaçadas de apoio a Sócrates e ser a voz do contraditório!”.

O PNR acrescenta ainda: “Por culpa de Sócrates e de muitos outros como ele, os bolsos dos portugueses estão cada vez vazios e a esperança num futuro digno, cada vez mais hipotecada”. A manifestação está agendada para as 12 horas e já 98 pessoas deram a certeza que “vão” ao evento, através do Facebook.

Já a iniciativa organizada pelo grupo de apoiantes do ex-primeiro-ministro, “Agosto em Évora”, é mais um protesto contra aquilo que o movimento considera ser uma prisão com “contornos políticos”, com o objetivo de “diminuir e humilhar o caráter de uma grande figura nacional” e ainda “prejudicar o partido socialista nas próximas eleições”.

“O Movimento Cívico José Sócrates ‘Sempre’ está determinado a não baixar os braços enquanto não se fizer justiça, Sócrates tem que ser libertado, incondicionalmente, a justiça prendeu-o para o investigar, escolheu o momento próprio para o fazer, indícios e factos criminais não aparecem, bem que eles os procuram mas sem êxito”, pode ler-se no texto publicado pelo movimento na página oficial do Facebook.

Os apoiantes do ex-primeiro-ministro garantem, ainda, que não se vão “calar” e que vão “continuar a desmascarar a justiça e seus justiceiros”, referindo-se ao juiz Carlos Alexandre e a Rosário Teixeira. A iniciativa está marcada para as 15h30 e já 129 pessoas disseram que “vão”.

José Sócrates está preso preventivamente desde 24 de novembro do ano passado, acusado dos crimes de fraude fiscal, corrupção e branqueamento de capitais.