Os Estados Unidos enviaram seis caças F-16 para a base de Incirlik, no sul da Turquia, “para apoiar o combate” ao grupo extremista do Estado Islâmico, anunciou a representação norte-americana na NATO na sua conta no Twitter.

O anúncio decorre do acordo assinado em julho entre os Estados Unidos e a Turquia, o qual permite, pela primeira vez desde que há um ano foi lançada a coligação internacional contra os ‘jihadistas’ no Iraque e na Síria, que os Estados Unidos possam descolar caças daquela base estratégica.

Até ao acordo, os Estados Unidos recorreram a aviões não-tripulados (‘drones’) armados que descolaram de Incirlik para ataques contra posições do Estado Islâmico, uma vez que os F-16 só podiam descolar de bases mais distantes dos alvos, na Jordânia ou no Kuwait.

Uma fonte turca citada pela agência France Presse confirmou “a chegada hoje de seis jatos norte-americanos, os primeiros de um destacamento” cujo número total não indicou.

Os F-16 norte-americanos foram enviados da base de Aviano, em Itália.

Segundo a agência turca Dogan, um contingente de 300 militares norte-americanos foi também enviado para a base turca para as operações de coordenação.

Membro da NATO, a Turquia tinha até agora recusado participar nos ataques aos ‘jihadistas’, que podem favorecer a ação dos curdos da Síria que combatem o Estado Islâmico.

A posição turca alterou-se depois de um atentado atribuído ao Estado Islâmico que matou 32 pessoas a 20 de julho em Suruç, no sul da Turquia.