As exportações portuguesas voltaram a acelerar em junho, com um aumento de 9% na comparação com o mesmo período do ano passado. O desempenho das exportações, que contrastou com o aumento de 5,4% nas importações, foi suportado pela subida de 9,7% das exportações para países pertencentes à União Europeia (UE). Para fora da UE, as exportações subiram 7,1%, também recuperando face à quebra registada em maio.

Estes são os principais números para o mês de junho, fornecidos esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Por se tratar do mês de junho, regista-se, também, que as exportações e as importações de bens aumentaram 7,4% e 9,0%, respetivamente, no segundo trimestre de 2015 (face ao período homólogo). Assim, pelo facto de na comparação trimestral as importações terem subido mais do que as exportações, “o défice da balança comercial aumentou 400,6 milhões de euros situando-se em 2.794,2 milhões de euros”, diz o INE.

Na comparação mensal relativa ao mês de junho, em que as exportações subiram mais do que as importações, deu-se uma recuperação. No mês anterior (maio), o aumento das exportações tinha sido de apenas 3,6%, após os ganhos de 9,9% em abril e 11,5% em março. As exportações começaram o ano a cair (3,6%) na comparação homóloga de janeiro, crescendo depois 3,8% em fevereiro.

A subida das exportações de junho foi “generalizada à quase totalidade dos grupos de produtos, mas em especial nos Veículos e outro material de transporte, Plásticos e borrachas e Outros produtos, explica o INE. Importou-se mais, sobretudo, Veículos e outro material de transporte e produtos Químicos.

“Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, em junho de 2015 as exportações aumentaram 11,2% e as importações 13,2% (respetivamente +1,1% e +6,5% em maio de 2015)”, acrescenta o gabinete público de estatísticas.