A editora britânica Pearson concordou vender 50% da revista The Economist. O negócio, que irá render mais de 661 milhões de euros à Pearson, será ainda sujeito à aprovação de 75% acionistas do Grupo Economist e deverá acontecer no final de 2015.

A Exor, uma empresa de investimento italiana controlada pela família Agneli, irá adquirir 27,8% das ações da revista económica, enquanto o Grupo Economist irá ficar com os restantes 22,2%. A venda de metade da Economist acontece pouco tempo depois de a editora de educação ter anunciado a venda do jornal Financial Times, por querer focar-se no negócio livreiro.

Num comunicado divulgado esta quarta-feira, John Fallon, diretor-executivo da editora britânica, admitiu que “a Pearson tem orgulho em ter participado no sucesso da Economist durante os últimos 58”, mas que agora está “100% focada na sua estratégia de educação global”.

“O mundo da educação está a mudar rapidamente e vemos que existe uma grande oportunidade de fazer crescer o nosso negócio através do aumento do acesso a uma aprendizagem de qualidade a nível global”, acrescentou o diretor-executivo.