A Hungria intercetou durante o passado fim de semana 5.544 pessoas, 942 delas menores, que entraram ilegalmente no país, anunciou hoje a polícia.

O maior grupo, constituído por 145 maioritariamente oriundos do Afeganistão, Paquistão e Bangladesh, entrou na Hungria pela localidade de Roszke, na fronteira com a Sérvia.

Desde o início do ano, a polícia registou a entrada ilegal de mais de 100.000 pessoas, na sua maioria provenientes de países em conflito, que entram na Hungria pela fronteira com a Sérvia e dali partem para outros países europeus, especialmente Áustria, Alemanha e Suécia.

O governo húngaro, liderado pelo conservador Viktor Órban, iniciou em julho a construção de uma vedação de 175 quilómetros ao longo da fronteira com a Sérvia para deter as entradas ilegais.

A medida levou nas últimas semanas a um aumento do fluxo de refugiados, que tentam entrar no país antes da conclusão das obras, prevista para o final de agosto.