Rádio Observador

Mundo

Santuário “feminista”: Sem homens há 25 anos

241

Apenas mulheres são autorizadas a viver em Umoja. O "santuário feminista", no Norte do Quénia, é o refúgio de vítimas de crimes sexuais há 25 anos: "As mulheres em Umoja têm liberdade".

Uma das caraterísticas únicas da comunidade "sem homens" é que as residentes mais experientes educam mulheres e jovens raparigas de outras vilas na região de Samburu

Getty Images

Umoja é uma das muitas vilas no Norte do Quénia, mas há algo que a distingue: está livre de homens há 25 anos. A vila opõe-se a um mundo dominado pelo sexo masculino porque todas as habitantes têm motivos para recear os homens. As residentes são sobreviventes de ataques terríveis por parte da sociedade patriarcal, incluindo violações, casamentos forçados, violência doméstica e mutilação genital.

Desde 1990 que a vila de Umoja, na região de Samburu, oferece uma solução para estas mulheres. Criada graças ao esforço conjunto de 15 quenianas que sobreviveram a violações de soldados britânicos, a comunidade tornou-se um “santuário feminista” para as mulheres africanas. Uma das pioneiras de Umoja, Seita Lengima, explicou ao Guardian que a vila é única no mundo porque “lá fora, as mulheres estão a ser governadas por homens e não conseguem conquistar qualquer mudança” acrescentando que: “As mulheres em Umoja têm liberdade”.

Outra das caraterísticas únicas da comunidade feminista é que as residentes mais experientes educam mulheres e jovens raparigas de outras vilas na região de Samburu sobre problemáticas como o casamento e a mutilação genital. “Se uma rapariga casar muito jovem, não será uma mãe competente.” explica Milka, a diretora da escola da vila, ao detalhar os problemas físicos e psicológicos que as jovens enfrentam quando são obrigadas a ter filhos muito cedo.

Reação Masculina: Os homens não podem ficar muito tempo

A insistência da vila afastar o sexo masculino nem sempre é recebida de forma tranquila. Umoja é frequentemente alvo de ataque e ameaças de homens locais que não estão felizes com a pequena colónia de mulheres emancipadas. Porém, as mulheres não se deixam intimidar e o caráter semi-errante de Umoja permite que as residentes se movimentem pela região de Samburu quando é necessário escapar de grupos mais violentos.

Contudo, Umoja não é completamente contra o sexo-masculino. Os homens são convidados a visitar ocasionalmente, mas não podem ficar muito tempo. Atualmente, Umoja é composta por 247 mulheres e continua a crescer.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)