Monges budistas lideraram hoje as orações para a reabertura do templo em Banguecoque onde uma explosão matou 20 pessoas, numa altura em que a polícia procura um homem suspeito de ter deixado a bomba no local.

A bomba explodiu no final da tarde de segunda-feira, quando o templo Erawan estava repleto de crentes e turistas, mas até agora ninguém reivindicou a autoria do ataque.

A explosão da bomba na capital tailandesa matou pelo menos 11 estrangeiros, da China, Hong Kong, Singapura, Indonésia e Malásia. Mais de 100 pessoas ficaram feridas.

Segundo a polícia, uma segunda explosão no porto de Banguecoque, na terça-feira, que não causou feridos, pode estar relacionada com a primeira.

Na terça-feira, a polícia revelou imagens de um homem, aparentemente jovem, com uma t-shirt amarela e calções escuros, a entrar no templo com uma mochila.

No vídeo o rapaz pousa calmamente a mochila debaixo de um banco e afasta-se.

A bomba explodiu minutos mais tarde, levando a polícia tailandesa a considerar este homem o principal suspeito.