Receber mulheres em festas, prometer-lhes trabalho como apresentadoras de meteorologia e, em troca, pedir-lhes que cantem “graças a deus pelo Sílvio” enquanto beijam uma estátua, cuidadosamente guardada, de um homem com um pénis avantajado.

Era assim que Sílvio Berlusconi, ex-primeiro ministro italiano e magnata dos media, convivia com as suas convidadas nas conhecidas festas (sexuais) bunga bunga. Quem o revela são Ambra Battilana e Chiara Danese, ambas modelos que já participaram nas festas organizadas por Berlusconi, que deram os seus testemunhos no mais recente livro de Michael Day, “Being Berlusconi: The Rise & Fall from Cosa Nostra to Bunga Bunga”.

No livro, as duas raparigas descrevem a sua experiência numa bunga bunga que aconteceu numa das vilas privadas do ex-primeiro ministro, situada na periferia de Milão. Battilana descreve, no excerto do livro publicado pelo The Independent, que “Berlusconi olhava muito” para si e para Chiara, enquanto lhes “dedicava canções em francês e italiano”. “Quinze minutos depois de nos sentarmos, algumas das raparigas revelavam os seios para que Berlusconi os beijasse. Tocavam nas partes íntimas do primero-ministro e faziam-no tocar nas delas. Enquanto isto acontecia, as raparigas cantavam ‘graças a deus pelo Sílvio’ e chamavam-no de ‘Papi'”, acrescenta.

MILAN, ITALY - JULY 19: Ambra Battilana stands at the exit of the courthouse after the verdicts in the 'Ruby bis' case on July 19, 2013 in Milan, Italy. Nicole Minetti, Emilio Fede and Lele Mora were found guilty of aiding and abetting in the procurement of prostititutes for 'bunga bunga' parties held by former Italian prime minister Silvio Berlusconi. (Photo by Pier Marco Tacca/Getty Images)

Ambra Battilana (Fotografia de Pier Marco Tacca/Getty Images)

Também no livro, Chiara Danese vai mais longe: “após a enésima piada obscena, Berlusconi traz uma estátua, guardada numa caixa, e daí emerge um pequeno homem com um pénis enorme. Berlusconi começa a passar a estátua de rapariga em rapariga, pedindo-lhes para beijarem o pénis”. Pouco depois, ambas as raparigas sairam da festa, apesar de terem sido avisadas de que não iriam conseguir o trabalho como apresentadoras de meteoreologia.

MILAN, ITALY - JULY 19: Chiara Danese leaves the courthouse after the verdicts in the 'Ruby bis' case on July 19, 2013 in Milan, Italy. Nicole Minetti, Emilio Fede and Lele Mora were found guilty of aiding and abetting in the procurement of prostititutes for 'bunga bunga' parties held by former Italian prime minister Silvio Berlusconi. (Photo by Pier Marco Tacca/Getty Images)

Chiara Danese (Fotografia de Pier Marco Tacca/Getty Images)

O livro, e as respetivas acusações, aparecem um ano depois de o político ter sido ilibado das acusações de ter mantido relações sexuais, durante uma das festas bunga bunga, com uma menor.