O exército sírio matou neste domingo mais de 50 alegados terroristas, em bombardeamentos na província costeira de Latakia, um dos redutos do regime do presidente Bashar al-Assad. Uma fonte militar citada pela agência oficial de notícias síria Sana informou que os ataques aéreos tinham como alvo as cidades de Ain al Aidu e Salma, no norte da cidade de Latakia.

Numa operação semelhante, na província setentrional de Idleb, as forças do Governo causaram ainda cinquenta baixas em fileiras ‘jihadistas’, entre mortos e feridos, na cidade de Maarat al Nuaman.

Além disso, as forças do exército destruíram um tanque com munições, mísseis, 23 lança-mísseis e armas de artilharia detidas por “grupos extremistas” nas cidades de Arbin e Harsata, em Guta Oriental, perto de Damasco.

As autoridades sírias classificam como terrorista toda a oposição armada, sem distinguir entre fações rebeldes e grupos como a Frente Nusra, célula síria da Al-Qaida, ou o movimento terrorista do Estado Islâmico.

A Síria é, há mais de quatro anos, palco de conflitos que já causaram a morte a pelo menos 240 mil pessoas, segundo dados do Observatório Sírio para os Direitos Humanos.