Esta promete ser a guerra mais refrescante do país. Não podia ser de outra maneira: afinal há 75 mil balões de água prontos a serem lançados já este sábado. E estão todas guardadas em Leiria, à espera que pelo menos 1800 guerreiros coloridos as lancem sem dó nem piedade.

A Guerra de Balões de Água protagoniza o mês de agosto em Leiriana mesma altura que o festival de música gótica “Entremuralhas”. Em plena Praça Rodrigues Lobo, com vista para o castelo, a cidade junta-se há cinco edições para atirar balões de água às equipas contrárias. Há quatro barricadas, todas elas representadas com uma cor. E ninguém sai vencedor. Apenas encharcado.

Tudo começou em 2011 nas mãos de um grupo de quinze amigos. Rodrigo Castro foi um deles. Conta ao Observador que queria criar um evento para unir a cidade e envolvesse os seus amigos. Juntaram os tostões, compraram alguns balões, encheram-nos de água em casa e levaram-nos em caixotes para o centro da cidade.

À espera deles estavam duzentas pessoas. Todas elas tinham sabido da guerra de balões de água através do Facebook. “Na altura ainda não estavam na moda os eventos de verão, por isso decidimos organizá-la como se fosse uma flashmob“. Resultou: se no primeiro ano funcionou como um acontecimento independente – onde cada pessoa tinha de levar a sua própria t-shirt -, logo em 2012 já tinham o patrocínio da Câmara Municipal de Leiria e de algumas empresas regionais. E o objetivo de todos era apenas um: “oferecer felicidade”, conta Rodrigo Castro

O evento cresceu de tal maneira que foi impossível sustentá-lo apenas através dos apoios dos patrocinadores, explica Rodrigo, que deixou a engenharia mecânica para se dedicar à produção de eventos. Este ano a produção foi feita em parceria com a Baixa 62, uma empresa de comunicação e marketing com mira na construção de marcas.

Mas o evento não fica por aqui: Rodrigo Castro conta que a guerra de balões de água vai estrear-se em Aveiro a 26 de setembro. O próximo passo? Tornar Leiria na capital da guerra dos balões de água na Europa. “Não há recordes para bater, mas queremos produzir a maior guerra de balões de água europeia”, afirma.

Os bilhetes podem ser adquiridos através do site do evento ou da Ticketline. Para quem comprar a entrada até quinta-feira, o valor da inscrição é de 4,50 euros. A partir daí, o valor aumenta para 5 euros. Apesar de a inscrição passar a ser paga, o número de participantes continua a crescer: esperam-se 300 crianças na Guerra de Balões de Água Kids – para miúdos entre os cinco e os 12 anos – e 1500 pessoas a partir dos 13 anos.

Texto editado por Diogo Queiroz de Andrade