Dionisios Karipidis, um escultor grego, recebeu um ultimato da Câmara de Sitonia (uma península no norte da Grécia): ou pagava a multa que devia há anos, ou a câmara iria destruir a sua famosa escultura – “A Sereia” – lapidada em pedra em 1997, na costa da praia de Kavourotripes.

Mas Dionisios não se deixou intimidar. Destruiu pelas suas próprias mãos a escultura de 6,6 metros de comprimento, recusando-se a pagar a multa de 533 euros, emitida com o argumento de “ter destruído uma estrutura natural”. A história é contada pelo jornal turco Hurriyet Daily News.

A multa, nunca paga, teria sido emitida há alguns anos pela Câmara de Sitonia. Depois de ter perdido uma ação judicial, foi-lhe imposto o ultimato. Dionisios respondeu numa carta: “Ou não pago os 533 euros, ou vou demolir a minha escultura”. E assim o fez. “A Sereia” foi desmantelada com um martelo às mãos do seu próprio criador, e em frente dos locais e de turistas. A foto regista o momento em que “A Sereia” desapareceu no mar.