Peter Praet, membro do conselho executivo do Banco Central Europeu (BCE), afirmou que a instituição pode aumentar ou prolongar o seu programa de compra de ativos se for necessário para cumprir a meta de inflação.

“Os desenvolvimentos mais recentes na economia mundial e nos mercados de matérias-primas aumentaram o risco de se atingir uma trajetória para uma inflação próxima de 2%”, afirmou Peter Praet aos jornalistas em Mannheim, Alemanha, onde participou no 30.º Congresso Anual da Associação Económica Europeia.

“Não deve haver qualquer ambiguidade quanto à vontade e capacidade do conselho de governadores para agir se for necessário”, acrescentou, citado pela Bloomberg.

Na terça-feira, o vice-presidente do BCE, Vítor Constâncio, também em Mannheim, afirmou que a instituição liderada por Mario Draghi continuará a aplicar o programa de compra de ativos que lançou em março até ao fim, podendo adotar mais medidas caso seja necessário.

O programa do BCE prevê a compra de dívida pública e privada no valor mensal de 60 mil milhões de euros até ao final de setembro de 2016.

Estas declarações surgem a uma semana da próxima reunião de política monetária do BCE.