Divulgada na quinta-feira, a sondagem da empresa Datanálisis foi realizada, entre 10 e 23 de julho, em 999 lares venezuelanos de todos os estratos sociais, com um nível de confiança de 95% e uma margem de erro máximo de 3,04%, refere a agência Efe.

À pergunta ‘Como avalia o trabalho de Nicolás Maduro pelo bem-estar do país?’, 39,4% dos inquiridos respondeu “muito mau” e 21,6% “mau”, enquanto 9,4% o qualificou “de regular a mau”, o que dá um total de 70,4% de avaliação negativa. Em contrapartida 24,3% considerou positiva a atuação de Nicolás Maduro.

De acordo com a sondagem, 71,1% vê de forma negativa a governo do país pelo Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), no poder, e 53,3% desaprova o trabalho da aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD).

Segundo o estudo, 46,1% dos inquiridos estimou que Maduro é o responsável pelos problemas que afetam o país e 13,2% afirmou que são “os ministros, o Governo”. A sondagem inclui também a visão dos inquiridos sobre a gestão “pelo bem-estar” do país “dos opositores Henrique Capriles e Leopoldo López, com o primeiro a obter uma avaliação positiva de 40,7% e negativa do 48,9%, e o segundo 41,5% de aprovação e 47% de desaprovação.

Mais de metade dos inquiridos (57,7%) afirmou que votaria nos candidatos da oposição, quando questionados sobre a intenção de voto, enquanto 26,2% respondeu que escolheria candidatos do governo e 16,1% manifestou apoiar independentes.

Instados a comentar a possibilidade de o Conselho Nacional Eleitoral decidir suspender as eleições dos deputados à Assembleia Nacional, 85,2% dos entrevistados fez uma avaliação negativa e apenas 8,3% classificou tal decisão de forma positiva. Já à pergunta ‘Como avalia a situação do país?’ 87,2% dos inquiridos atribuiu uma classificação negativa.

A escassez de alimentos (24,6%), o elevado custo de vida (20,7%) e a insegurança (17,7%) são os principais problemas que afetam a sociedade venezuelana segundo as respostas dos inquiridos.