As autoridades tailandeses detiveram este sábado um homem que acreditam ser o autor do ataque à bomba que matou pelo menos 20 pessoas no templo de Erawan, no centro de Banguecoque, no último dia 17 de agosto. O suspeito “parece-se bastante com o homem que andamos à procura”, disse um porta-voz da polícia citado pela BBC, sublinhando que foram encontrados em sua casa materiais usados no fabrico de explosivos, assim como dez passaportes aparentemente falsos.

Na sequência da explosão, que vitimou duas dezenas de pessoas, a polícia tailandesa montou uma operação de caça ao homem que tinha sido avistado pelas câmaras de segurança a deixar uma mochila suspeita junto ao templo hindu. De acordo com as autoridades, o suspeito agora detido em Nong Jok, nos arredores da capital tailandesa, corresponde à descrição do autor do atentado.

“O suspeito parece-se muito com aquele que andamos à procura, e além disso foram encontrados vários materiais que podem ser usados para fabricar bombas”, disse o porta-voz da polícia, Prawut Thavornsir, citado pela agência de notícias Reuters. Juntamente com os materiais explosivos foi encontrada uma dezena de passaportes que, de acordo com a correspondente da BBC em Banguecoque, contém vários erros, pelo que tudo indica que serão falsos. Não é claro a que país pertencem os documentos, mas vários relatos sugerem que são da Turquia.

A polícia divulgou o provável retrato do suspeito, desenhado através das imagens captadas pelas câmaras de vigilância:

Segundo o porta-voz, trata-se de um cidadão estrangeiro de 28 anos. A imprensa tailandesa afirma que é de origem turca, mas sem confirmações oficiais. A polícia acredita que o ataque foi planeado durante mais de um mês, mas que não está inserido em qualquer rede de terrorismo. “É estrangeiro, mas é pouco provável que seja um terrorista internacional”, disse em conferência de imprensa o chefe da polícia nacional, Somyot Pumpanmuang.

Nas fotos que a polícia revelou esta tarde, pode ver-se um homem com cabelo curto e barba a ser detido pela polícia (na foto, em cima), mas a imprensa internacional sublinha que ainda não é claro se se trata do principal suspeito do ataque, já que o retrato robô aponta para um homem de cabelo mais comprido e óculos.

A bomba que explodiu junto da multidão que se encontrava no tempo de Erawan, no centro de Banguecoque, matou 21 pessoas, na sua maioria turistas, e fez dezenas de feridos.