O PS tem um acampamento político, o PSD uma universidade de verão e o CDS tem uma escola de quadros. E aos alunos centristas, o CDS vai dar um manual para estudarem: o programa do PS. Uma das ações da Escola de Quadros do CDS vai ser esmiuçar o programa socialista ou, como está escrito no programa vai ser feito um “escrutínio e avaliação do programa do PS”. O professor? O ministro Luís Pedro Mota Soares.

Não terá sido por acaso a escolha do ministro da solidariedade, emprego e Segurança Social para esta aula, uma vez que das principais medidas que estão em cima da mesa são exatamente relativas a emprego e pensões. A aula do ministro será dada no sábado, dia 5 de setembro.

Mota Soares não é no entanto o único ministro a ir até à Escola dos centristas, que se realiza em Esposende este ano. Os ministros do CDS fazem o pleno: Assunção Cristas vai fazer um rastreio ao manifesto eleitoral do CDS de 2011, com o título “O que fizemos com o Manifesto Eleitoral do CDS de 2011?”; e Pires de Lima participará num jantar-debate com António Lobo Xavier.

Além dos eleitos nesta última legislatura, o CDS convidou Nicolau Breyner para dar uma aula de falar de política em público e João Pereira Coutinho participará num jantar-debate sobre a “difícil palavra: conservadorimo”.

A Escola de Quadros do CDS tem ainda sessões sobre dívida pública, na qual participa João Duque, um debate sobre empresas e economia e ainda uma primeira sessão, logo na sexta-feira, sob o tema: “Cristão perseguidos – porque é que a liberdade religiosa é importante?”.