No meio de tantos hidratantes, séruns, anti-rugas, after-sun, protetores de cabelo, cremes de noite, cremes de olhos, cremes de corpo — cremes para tudo e mais alguma coisa –, olhe para o seu armário e pense: quando foi a última vez que comprou um esfoliante? Num artigo da NBC News, Ellen Marmur, uma dermatologista americana, explica que uma esfoliação semanal é um dos actos que ajuda a manter a pele jovem. O ciclo de renovação celular que, durante a nossa juventude, é de 28 dias, passa a demorar cerca de 35 dias lá para os 40 anos. Usar esfoliante vai acelerar este processo. E de cada vez que aceleramos a renovação celular, é como se a pele “nascesse” outra vez: uma pele nova significa uma pele com uma aparência mais jovem. Se ainda não está convencida, leia mais um pouco.

O que é uma esfoliação?

Simplificando, é uma renovação celular mecânica que vem ajudar a eliminar a camada superficial da pele para dar lugar a uma nova. Os ciclos de renovação da pele são naturais, é verdade. Acontecem quer usemos produtos ou não. Mas, além de abrandar com a idade, este ciclo pode “descoordenar-se” por inúmeros fatores como os descontroles hormonais, má alimentação, stress, ansiedade, demasiadas toxinas acumuladas ou agressões durante verão (sol, areia, mar, sal, cloro), entre outros.

A esfoliação acaba por ser uma das maiores aliadas da pele porque vai ajudar, manualmente, na libertação das células mortas e revela, imediatamente, a nova pele: mais limpa, luminosa e rejuvenescida. E isto aplica-se tanto no rosto como no corpo. É por isso que, antes da depilação ou da aplicação de cremes como anti-celulite ou auto-bronzeadores, se aconselha uma esfoliação: para que os pelos não fiquem encravados e a ação dos cremes não acabe por ficar perdida pela camada superficial de células mortas acumuladas e consiga penetrar devidamente.

Por que esfoliar o rosto é importante?

A nossa pele está constantemente e diariamente exposta a agentes externos como a poluição, o fumo, a radiação solar, cigarros, luz artificial, ares condicionados… E a pele do rosto é a que recebe, em primeiro lugar, esta avalanche de agentes que a vão danificar e acelerar o processo de envelhecimento. Todos estes inimigos vão acumular-se na pele e prejudicar a sua respiração. Quando o ciclo de renovação celular termina, as células mortas são “expulsas” do organismo mas ficam à superfície da pele. E essa camada “morta” impede que a pele respire e que absorva os nutrientes dos cremes que usamos, obstruindo os poros e fazendo, basicamente, com que ela envelheça. O que o esfoliante vai fazer é eliminar estas células e expor a “nova” pele.

Vale a pena lembrar que existem esfoliantes próprios para rosto e corpo e jamais se devem misturar. Tal como a pele do rosto é mais fina do que, por exemplo, a das pernas, os esfoliantes de rosto são produtos mais suaves e com componentes próprios para não a agredir. Veja algumas sugestões de produtos:

10 fotos

Resumindo e concluindo, alguns benefícios e dicas da esfoliação

  • Previne o aparecimento de pelos encravados e acne.
  • Melhora a penetração e a ação dos cremes que usamos.
  • Feita antes da exposição ao sol, ajuda a que o bronzeado seja mais uniforme, luminoso e duradouro.
  • Funciona como uma espécie de “tela em branco” para a maquilhagem no sentido em que deixa a pele uniforme, atenua as imperfeições e os poros, e favorece uma melhor fixação dos produtos (bases, pós, sombras…).
  • Estimula a circulação sanguínea.
  • A maioria dos especialistas é unânime: uma esfoliação semanal é o ideal. Mas em situações muito específicas (pele muito sensível ou muito oleosa) convém consultar um dermatologista e perceber qual a melhor solução.
  • A esfoliação deve ser feita em pele seca com suaves massagens durante alguns minutos.
  • Após a esfoliação, e porque a pele fica sensível, é sempre necessário passar um hidratante para hidratar e apaziguar a pele em profundidade.