A estação ferroviária de Keleti, em Budapeste, na Hungria, de onde partiram na segunda-feira várias centenas de migrantes rumo à Áustria e à Alemanha, foi encerrada esta terça-feira, informou a empresa de transporte BKK na rede social Facebook.

Desde as 09:00 locais (08:00 em Lisboa) não partem nem chegam comboios à estação, onde, segundo a agência de notícias MTI, se registou anteriormente uma situação caótica com centenas de migrantes que tentavam aceder aos comboios que partiam para a Áustria ou para a Alemanha.Esta terça-feira, a polícia impediu primeiro o acesso aos cais de embarque e depois acabou por encerrar a estação, uma operação que durou uma hora, segundo o portal “hvg”.

Muitos migrantes estão há semanas acampados em Keleti e têm exigido que os deixem continuar viagem para destinos como a Alemanha ou países escandinavos. Na segunda-feira, cerca de 2.000 conseguiram apanhar dois comboios quando a polícia se retirou do local. Depois de perceber que o acesso aos cais de embarque estava interdito, cerca de 200 pessoas protestaram gritando “Alemanha, Alemanha”.Os migrantes que permaneciam noutras zonas de trânsito da cidade foram na segunda-feira à noite para Keleti para tentarem entrar nos comboios.

A polícia austríaca estima que mais de 3.650 imigrantes passaram na segunda-feira pela estação Oeste de Viena (Westbahnhof) a caminho da Alemanha.A Hungria, que faz parte do espaço de livre-trânsito comunitário Schengen, referiu que desde o início do ano chegaram mais de 15.000 imigrantes ao seu território.

Para tentar travar a entrada de imigrantes, a Hungria terminou no sábado a construção de uma vala de arame farpado com um metro e meio de altura e 175 quilómetros de extensão na fronteira com a Sérvia, e está a construir outra, que terá quatro metros de altura e que deverá estar concluída em novembro.