Uma transferência falhada para o Real Madrid, por um atraso de breves minutos na entrega das inscrições, encalhou o guarda-redes do Manchester United, David De Gea. E os casos semelhantes ocorridos no passado, recorda o El Mundo, não auguram possibilidades de qualquer transferência para o guardião espanhol.

Uma situação idêntica, lembrada pelo El Mundo, aconteceu ao novo extremo do Sporting Bryan Ruiz, em janeiro. Bastou o Fulham, clube que representava, atrasar-se na entrega de documentos para Ruiz ser impedido de ingressar no Levante. O mesmo aconteceu também ao ex-leão Miguel Lopes em 2011, quando o internacional português representava o FC Porto. Por uma questão de minutos, com a inscrição a não ser feita a horas, Lopes não pôde rumar ao Real Saragoça.

Real Madrid e Manchester United, numa arrastada negociação, acordaram a transferência de David De Gea, no valor de 30 milhões de euros, com o costa-riquenho Keylor Navas a seguir em sentido contrário, por 15 milhões de euros.

Segundo a imprensa espanhola, que cita fontes da Liga de Fútbol Profesional (LFP), organismo que organiza o campeonato espanhol, foram modificações de última hora no contrato de Navas que atrasaram a entrega da documentação, que impediram De Gea de rumar para Madrid. Segundo a Marca, o Real Madrid enviou os papeis para a LFP às 00h30, meia hora depois do mercado de transferências da liga espanhola ter fechado.